10 poderosas estratégias para mostrar seu valor sem depender de diplomas ou certificados

Se você é como eu, já precisou provar seu valor sem depender de diplomas ou certificados. Pessoas que aprendem algo por conta própria invariavelmente passam por isso.

Os colecionadores de certificados também deveriam estar atentos. As formas de fazer o mundo confiar no seu conhecimento/trabalho estão mudando. Diplomas já não dizem muita coisa.

No texto anterior, introduzi o assunto trazendo alguns dados de contexto. E também comentei que existem estratégias alternativas para aumentarmos a confiança das pessoas naquilo que sabemos fazer.

O certificado é apenas uma das várias estratégias disponíveis para atender a essa necessidade. É muito importante diferenciar isso. Estratégia é uma coisa, necessidade é outra.

E quando compreendemos a necessidade, ou seja, a motivação fundamental por trás das estratégias, conseguimos ser muito mais criativos.

O que você quer é se sentir reconhecido pelos seus pares e pela sociedade. O que você quer é que as pessoas confiem na competência que você sabe que pode aportar.

Ao imaginar formas de fazer isso, não se restrinja ao que vou te contar aqui. Seja criativo. Invente, surpreenda, crie seus próprios caminhos.

(Lembrei do meu amigo Tião Rocha, que criou uma tecnologia social chamada MDI — Maneiras Diferentes e Inovadoras. É uma roda em que as pessoas se questionam sobre formas criativas de solucionar desafios. Com ela, comunidades pensam sobre como podem acabar com o analfabetismo ou a mortalidade infantil… Olha o poder disso!)

Compartilho abaixo 10 estratégias pra você mostrar seu valor. Todas elas são baseadas, em maior ou menor grau, em quatro atitudes básicas: documentar, criar valor, se conectar e aprender.

Sem mais, vamos a elas.

1. Crie um portfólio

Mesmo se você não for um designer, um portfólio te ajudará. As pessoas não querem saber se você trabalhou no lugar X ou Y. Para acreditarem no seu valor, elas precisam saber quais projetos você realizou e os resultados alcançados.

  • Você não precisa ter um site. Por muito tempo, usei um post no Medium como portfólio. Gosto também do Behance (voltado para criativos) e do Linktree (converte bios de Instagram em miniportfólios).
  • Em relação ao formato, o céu é o limite. Algumas ideias: salvar um Stories no Instagram para cada projeto seu ou criar um baralho com seus casos de sucesso e aprendizados.
  • A Rock Content tem um guia bem legal sobre como criar portfólios digitais.
  • Meike Ziegler, fundadora do Creatuals, escreveu um livro relatando os casos mais marcantes de sua trajetória como designer de experiências.

2. Crie seu próprio ritual de certificação

Pode parecer estranho criar um ritual de certificação para si mesmo. Mas quando por trás disso há uma trajetória sólida e uma boa história pra contar, confie em mim, vai fazer sentido.

  • Um ritual de certificação é como uma “formatura” para aprendizes autodirigidos. Em outras palavras, é um evento para celebrar as conquistas do seu percurso de aprendizagem.
  • Defina os critérios: o que precisará ter acontecido para eu estar pronto para viver esse rito de passagem? Isso te ajudará inclusive a ter clareza sobre o que você deseja alcançar.
  • É sempre bom lembrar que você aprende não quando leu ou memorizou, mas quando consegue aplicar com sucesso seu conhecimento. É aí que você estará pronto.
  • Planeje esse momento da maneira que fizer mais sentido pra você. Não se contente com os ritos de formatura tradicionais.
  • Convide as pessoas que foram importantes na sua jornada e faça elas se sentirem especiais.
  • Ao publicar os livros Educação Fora da Caixa e Doutorado Informal, organizei eventos de lançamento que serviram como meus rituais de “formatura”. Em um deles, comprei uma camiseta branca e, vestido com ela, pedi aos convidados para assinarem e me deixarem mensagens de celebração.

3. Participe de projetos voluntários

Você treina suas habilidades, conhece gente, ajuda o mundo, coleciona boas histórias pra contar e ainda recheia seu portfólio.

  • Encontre plataformas de voluntariado. Algumas que eu curto são o Atados, a Base Colaborativa e o Quero na Escola (que é também um baita projeto de educação).
  • Organize uma ação de voluntariado relacionada ao seu tema de interesse no seu condomínio, empresa ou bairro.
  • Ações voluntárias são uma incrível oportunidade de aprendizagem. E elas também aumentam sua experiência e reputação.

4. Demonstre sua sede por aprendizado

As pessoas não avaliam somente sua competência. Elas avaliam também sua vontade de ampliar sua competência. Ou seja: demostrar que você é curioso e ávido por aprender conta pontos.

  • Acesse pessoas e mostre que você deseja aprender com elas. Marque um almoço ou um encontro virtual e faça (muitas) perguntas. Aproxime-se e crie conexão com elas.
  • Entrevistar alguém é uma ótima forma de aprender com ela. Desperte o pesquisador que há em você.
  • Se você produz conteúdo, não seja unidirecional. Mostre que você quer aprender com seu público por meio de posts com questionamentos genuínos e ferramentas de pesquisa (Typeform e o All Our Ideas são as minhas favoritas).
  • Nunca perca sua sede de aprender, mesmo que você seja um especialista no seu tema. Humildade, além de fazer bem, conquista as pessoas.
  • Sempre me surpreendo quando acesso pessoas que admiro muito e elas são humildes comigo. E isso já aconteceu com alguns dos meus ídolos: Eda Luiz, Juanita Brown, José Pacheco, Manish Jain, dentre outros.
  • Entrevistei muita gente ao longo da minha pesquisa sobre aprendizagem autodirigida. Algumas você pode conferir abaixo.

Entrevista com Kageki Asakura, diretor da Universidade Shure (Japão)

Entrevista com Traian Brumă, cofundador da Universidade Alternativa (Romênia)

Conversa com Zahra Davidson, cofundadora do projeto Enrol Yourself (Reino Unido)

5. Participe de redes e eventos

Se você tem um bando, seu poder aumenta. Integrar grupos dentro da sua área de atuação e participar de encontros são caminhos para que sua competência seja mais facilmente reconhecida.

  • Procure redes, grupos, comunidades e movimentos relacionados ao seu tema. Pergunte para pessoas com mais experiência que você e use o Google.
  • Provavelmente esses grupos organizam encontros — na forma de reuniões informais, conferências, congressos etc. Entenda como, além de fazer parte do grupo, você também poderia participar desses momentos.
  • Talvez você não consiga uma posição de prestígio num primeiro momento. Entenda como você pode ajudar o grupo ou o encontro atuando como voluntário, por exemplo.
  • Ao ingressar nesses espaços, compartilhe seu conhecimento sempre que puder. Mas não se esqueça que o mais importante é estar aberto para aprender com o outro.

6. Produza e compartilhe conhecimento

Seja qual for sua área, é possível gerar conhecimento e disponibilizar isso para as pessoas. E isso aumenta sua autoridade, além de várias outras vantagens (escrevi um texto sobre isso aqui).

  • Escolha o formato de compartilhamento que te permita se expressar melhor: texto, áudio, vídeo, dentre outros.
  • É preciso ser consistente. Criar um post e sumir não vai te levar muito longe. É melhor compartilhar um pouco com frequência do que compartilhar muito e demorar para fazê-lo.
  • Em geral, as pessoas preferem conhecimentos úteis e práticos. Se sua linha for mais teórica, nunca perca de vista a conexão com a realidade das pessoas.
  • Você não precisa necessariamente produzir conteúdo original. Fazer curadoria de conhecimento pode ser tão relevante quanto. Veja aqui um especialista no assunto falando sobre diferentes formatos de curadoria.
  • Eu amo o blog do Larusso, onde ele fala sobre temas como autoconhecimento e empreendedorismo. Por muito tempo, ele escreveu diariamente por lá.
  • Compartilhar conhecimento é talvez a principal base do que eu faço. Ter disponibilizado meus livros gratuitamente é prova disso.

7. Crie presença digital

Não importa sua área, você pode se beneficiar de algum nível de presença digital. “Quem não é visto, não é lembrado”.

  • Entenda quais são as plataformas mais relevantes no seu contexto — e-mail, redes sociais, vídeos, podcasts etc — e priorize.
  • Aprenda o básico sobre as plataformas que você priorizar. O que não falta é conteúdo sobre esse assunto no Google e no Youtube.
  • Você pode fazer uma pesquisa com pessoas cuja atuação é semelhante à sua para entender como elas cultivam relevância no meio digital.
  • Nas redes sociais, seja você mesmo e estabeleça interações significativas com as pessoas. Existe sempre um ser humano do outro lado da tela.
  • Meu amigo André Camargo encontrou sua forma de criar presença digital por meio da escrita. Em 2017, ele escreveu o artigo mais lido do LinkedIn.
  • O Paulo Caputo criou uma newsletter semanal para sua rede de contatos a fim de compartilhar as coisas mais interessantes que tem visto no seu MBA no exterior. E, ao final de cada e-mail, ele sempre pede para as pessoas compartilharem com ele outras indicações.

8. Aprimore seu LinkedIn

O LinkedIn é bem mais do que um currículo online. Se você souber utilizá-lo, ele aumentará sua credibilidade e te fornecerá boas conexões.

  • Entenda como ser encontrado no LinkedIn e como criar relevância a partir de interações, posts e conteúdos.
  • Há muito material disponível sobre isso. A Rock Content, por exemplo, tem um kit de marketing pessoal no LinkedIn.
  • As Top Voices do LinkedIn são uma boa fonte de inspiração para aprender a criar mais presença na plataforma. Aqui vai a lista das 25 Top Voices de 2019.

9. Colecione depoimentos

Quem melhor para atestar sua competência do que as pessoas que já experimentaram o que você oferece? Depoimentos são uma forma de demonstrar de maneira prática e pessoal seu valor.

  • Escolha pessoas que possam te fornecer depoimentos sinceros e apreciativos.
  • É possível utilizar vários formatos: texto, áudio, vídeo etc.
  • Evite compartilhar depoimentos que pareçam falsos ou artificiais. Cuidado para não forçar a barra.
  • Você pode incluir depoimentos no seu site, no seu perfil do LinkedIn (que até possui um sistema próprio de recomendações) ou em materiais de sua autoria.
  • No relato que fiz sobre o GINE Yourself — um programa online que ofereci em 2019 — , utilizei depoimentos de alguns participantes contando sobre o que fez a experiência ser especial para eles.

10. Ofereça degustações

Se alguém tem dúvidas sobre a qualidade do que você faz, ofereça uma degustação. Assim, ela tem um meio rápido e sem custo para te avaliar em primeira mão.

  • A pergunta básica é: como você poderia criar formas atrativas para as pessoas terem uma prévia do que você tem para oferecer?
  • Crie uma versão simplificada e gratuita do que você deseja ofertar, mas que ainda assim seja útil e relevante para as pessoas.
  • Divulgue sua degustação para pessoas com potencial interesse no seu trabalho.
  • Não tenha medo de compartilhar o que você tem de melhor na degustação. Quanto mais valor você oferecer nesse momento, mais autoridade você inspira no seu público.
  • Primeira consulta ou sessão gratuita, sites que oferecem 30 dias de teste e aulas abertas são todos exemplos de degustações.

Bônus: Agradeça, Ajude, Tome Cafés

Escrevi um post bem legal sobre isso, dá uma olhada.

É só o começo.

Quais outras estratégias diferentes e inovadoras você conhece (ou poderia inventar) para fazer as pessoas confiarem no que você sabe fazer?

Conta pra mim no alex@alexbretas.com. Vou adorar saber!

Baixe um material gratuito que vai te ajudar a aprender a aprender.

Preparei um conteúdo com as principais pérolas da minha jornada de aprendizagem autodirigida.

É a essência mesmo. Aquilo que eu recomendaria de olhos fechados pra qualquer um que queira aprender a aprender.

E o mais legal é que eu organizei esse conteúdo no formato CEP+R (Conteúdos, Experiências, Pessoas e Redes).

CEP+R é um método que eu e Conrado Schlochauer criamos juntos. Usamos esse método em programas, workshops, mentorias e com a gente mesmo.

Acesse agora o conteúdo no meu site: www.alexbretas.com. E depois me envia um e-mail no alex@alexbretas.com me contando o que achou!

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com