3 motivos pelos quais aprender por conta própria nos parece difícil

1. Porque confundimos autonomia no aprendizado com aprender “sozinho”, e aprender sozinho é altamente desmotivador.

Aprender com autonomia é, também, colaborar e saber aceitar a colaboração do outro. É encontrar pessoas com interesses e paixões comuns e fazer algo com elas.

Sobre isso, vale muito a pena ler a reflexão de Daniel Lazaroni:

Sobre a minha (nossa?) dificuldade em pedir ajuda

2. Porque é preciso tomar suas próprias decisões e agir.

Decisões: o que vou estudar, como priorizar o que é mais importante, quais métodos vou utilizar, onde encontrar informações, com quem falar etc.

Ações: pedir ajuda, aceitar feedbacks, fazer pesquisa, criar projetos, testar hipóteses, formar grupos, convidar pessoas para serem mentores etc.

Na educação tradicional, não fomos acostumados a fazer essas coisas. Pior: aprendemos a ser passivos e a esperar pelo ensinamento — que vem sempre de alguém que “sabe mais” que a gente.

3. Porque a disciplina que nos foi apresentada na escola não foi conquistada, e sim imposta.

Existe uma baita diferença aí. Disciplina conquistada é aquela que construímos ao longo do tempo porque queremos produzir algo, porque aquilo realmente faz sentido pra nós.

Disciplina imposta é a que nos infligem para que aceitemos obedientemente as coisas que os outros acham que devemos saber/fazer/ser. Ou seja: heteronomia pura. Para aprendermos por conta própria, sermos capazes de aprofundar nossas investigações e entregar novas descobertas para o mundo, precisaremos reconstruir nosso senso de disciplina — numa perspectiva mais “de dentro pra fora” do que “de fora pra dentro”. Isso só se faz em liberdade.

A disciplina pode ser de dois tipos: a da orquestra e a do exército. Normalmente a disciplina das escolas e das famílias é deste segundo tipo, o que leva ao ódio. A disciplina da orquestra caracteriza-se por conjugar todos num mesmo espírito, e por permitir que cada um se desenvolva ao máximo. Já a disciplina do quartel precisa lidar com escravos, incapazes de apreciar a liberdade, inferiores, masoquistas. (Helena Singer)

Apoie este blog e tudo que ele semeia por aí

Trabalho por uma educação mais autêntica e que leve em conta os desejos e sonhos das pessoas.

Considere apoiar o que faço a partir de R$ 3 por mês. Tem umas recompensas bem legais, dá uma olhada: apoia.se/alexbretas

Se quiser saber mais sobre meu trabalho, é só entrar no meu site (www.alexbretas.com.br) ou me enviar um e-mail no alexbretas11@gmail.com.

--

--

--

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Alex Bretas

Alex Bretas

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com

More from Medium

Glass facades and no eaves: the need for better building standards

View from the living room window of an affordable housing unit at the Harry T. Nance Apartments in Brooklyn. Photograph by Danielle Amy

The Brain’s Gateway to Conscious Awareness

Reciprocity vs Reciprocity

Films about Japan that will help you learn more about Japanese culture.

The Garden Of Words