Você deve ter reparado que, ao longo das últimas semanas, eu venho escrevendo sobre outros assuntos além de aprendizagem. Formas não convencionais de encarar os relacionamentos, por exemplo.

Minha escrita reflete meu pensamento, e meu pensamento reflete meus interesses e perguntas sobre a vida e o mundo.

Alguns produtores de…

Eu não sou religioso, mas, tendo sido criado no catolicismo, já ouvi muito essa frase.

E sempre gostei de como ela soa: confiante, paradoxal, metafórica.

Hoje, eu substituiria “Deus” por “Vida” ou, quem sabe, “Natureza”:

“A Vida escreve certo por linhas tortas”.
“A Natureza escreve certo por linhas tortas”.

Por outro lado, às vezes é saudável inverter as coisas:

“Na Vida, eu escrevo torto por linhas certas — e tudo bem”.

Escrever certinho o tempo todo é chato, eu gosto das curvas.

Saiba mais sobre mim em www.alexbretas.com.

Morreu Olavo de Carvalho, principal ideólogo do bolsonarismo e da extrema-direita brasileira.

Olavo escrevia muito bem e se dedicava a estudar temas que o interessavam. Era um crítico do meio acadêmico, em especial o brasileiro, e propunha, desde 2006, a criação de grupos independentes de estudo para quem desejasse “obter…

Iniciativas educacionais gastam muita energia tentando “empurrar” conhecimento e/ou “puxar” performance.

Empurrar = compulsoriedade, controle de presença, convites constrangedores etc.

Puxar = avaliações, recompensas, punições etc.

Seja empurrando ou puxando, seja a priori ou a posteriori, a premissa é a mesma: controle.

E, quanto mais controle, menos desejo genuíno por aprender.

Outros caminhos possíveis são:

Oferecer. Convidar. Mapear. Organizar. Sustentar. Conectar. Acompanhar. Ensinar a buscar. Provocar. Questionar. Escutar. Acolher. Inspirar. Cocriar e coviabilizar. Honrar e reconhecer. Apreciar. Celebrar. Curar. Criar contexto. Comunitarizar. Co-investigar.

Tudo isso pode ser considerado o “trabalho de base” de iniciativas educacionais, seja em empresas, universidades ou escolas.

Obs.: no artigo Dez chapéus do educador informal (que, atualmente, eu entendo como “educador autodirigido”), eu entro em detalhes a respeito de vários caminhos apontados acima.

Publicado originalmente em www.alexbretas.com.

“Ele gosta de mim antes de eu ser inteligente”

Emocionada, Mary diz isso sobre o seu tio-pai, Frank, que a criou longe do fantasma da superdotação. Sua mãe, prodígio em matemática, havia tirado a própria vida por não suportar a pressão da sociedade sobre seu dom.

Mary também é superdotada…

Eu fico impressionado com a quantidade de tempo, dinheiro e energia desperdiçados no modelo de sala de aula tradicional.

Boa parte das pessoas não está realmente ali. Elas estão em outros lugares, pensando em outras coisas, desejando secretamente viver, amar, rir, relaxar, contribuir, criar, pertencer.

Salas de aula com metodologias…

Fazer “trabalho de base” geralmente significa adentrar as camadas populares e influenciar suas visões políticas, geralmente à esquerda — embora a direita também faça isso.

Só que eu imaginei um outro significado possível para essa expressão: “criar as melhores condições para…”

Exemplo real:

Eu tenho uma doença de pele chamada…

É preciso cuidado para não confundir educação personalizada e aprendizagem autodirigida, pois são coisas bem diferentes.

Muitas estratégias de personalização do aprendizado acabam sendo manifestações mais sutis da heterodireção (o outro controlando o que eu aprendo).

“Personalizar a aprendizagem tendo em vista as necessidades, habilidades e características de cada aluno”…

Alex Bretas

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store