Como fazer melhores perguntas?

Ao longo dos anos estudando e praticando facilitação de processos, percebo que nessa área há uma ênfase muito grande na criação de boas perguntas.

Isso é realmente importante, já que a escola e a faculdade onde a maioria de nós estudamos não possuía (ainda não possui) um design apropriado para estimular a construção de boas perguntas por parte dos estudantes.

A sociedade ocidental capitalista é viciada em respostas e pobre em perguntas.

Mas como nadar contra essa corrente? Como fazer melhores perguntas em qualquer situação?

Aprendi com a Marcelle Xavier que muitas vezes o que mais importa não é a sofisticação da pergunta. O que mais importa é estar genuinamente curioso com o que acontece com o outro enquanto ele nos responde.

Cultivar essa postura de curiosidade radical é o grande desafio — e também tudo o que nós precisamos fazer.

Costumo recomendar 5 perguntas básicas que podem nos ajudar a alimentar a abertura para o outro:

  • O que você pensa sobre isso?
  • Como você se sente sobre isso?
  • Como você chegou nisso?
  • Por que isso é importante pra você?
  • Quais perguntas você está se fazendo?

Se você está curioso, as perguntas fluem naturalmente. E elas são convites para que o outro floresça ali, bem na sua frente.

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com