Nunca confie no resumo do caderno dos outros

Talvez você tivesse o hábito de pegar o caderno daquele amigo seu da escola ou da faculdade na véspera da prova.

E talvez a leitura do resumo e das anotações dele seria suficiente para você tirar uma nota acima da média, talvez até passar de ano com tranquilidade.

Quem sou eu pra dizer que alguém não deveria fazer isso. Até da cola eu sou ativista — um sistema opressor merece ser burlado.

Mas uma coisa é a escola, em que a gente estuda “pra passar”, e outra é o aprendizado da vida real, voltado para resolver problemas e abastecer sonhos.

Vou te contar uma história um pouco embaraçosa. Muitas vezes eu não me lembro de coisas interessantíssimas que a Marcelle Xavier (minha namorada) já me contou sobre assuntos que nós dois estudamos e gostamos.

Digo a ela que sofro de memória de peixe, tipo a Dory, do Procurando Nemo.

Às vezes, ela me passa os resumos que ela adora fazer, e eu leio com absoluta admiração, mas ainda assim não retenho o conhecimento.

A magia da aprendizagem só ocorre em sua potência máxima quando eu descubro por mim mesmo. E, a partir disso, crio estratégias para “digerir” o aprendizado também por conta própria.

Quer aprender “no talo”? Então ligue o seu “modo descoberta” e faça seus próprios resumos.

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com