Sistema de aprendizagem igbo: estágio imersivo em negócios

O sistema de aprendizagem igbo começou depois que o povo igbo foi derrotado na guerra civil da Nigéria nos anos 70.

Nesse sistema, jovens deixam suas famílias para viver com empresários de sucesso durante um período combinado. Nesse processo, aprendem como administrar um negócio e, em troca, prestam todo tipo de serviço ao chefe.

No final, o empresário entrega capital para que cada jovem abra seu próprio negócio.

O sistema, que pode ser entendido como uma espécie de “estágio imersivo em negócios não remunerado, mas com prêmio no final”, contribuiu de forma significativa para a recuperação econômica dos igbos no pós-guerra.

A filosofia por trás da prática tem como princípio orientador o lema “onye a hana nwanne ya” (“não deixe seu irmão para trás”), que aponta para o cuidado em educar a todos, mesmo aqueles que não podem pagar uma faculdade.

É claro que existem críticas ao modelo e nem tudo é perfeito. Mas fiquei pensando em como o sistema de aprendizagem igbo poderia inspirar a criação de novas experiências de aprendizagem nas escolas, universidades, empresas e comunidades.

Quais possibilidades você enxerga neste sentido?

Obs.: retirei todas as informações desta matéria, da BBC.

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com