The Art of Noticing e como nomear as coisas as torna mais visíveis pra nós

Estou lendo o livro “The Art of Noticing” (A Arte de Perceber, em tradução livre), do Rob Walker, e indico fortemente a leitura (agradeço à nōvi pela indicação).

Rob é um jornalista “com vários projetos paralelos”, como ele mesmo se define. The Art of Noticing é, talvez, um dos mais promissores.

No livro, o autor compartilha 131 estratégias não convencionais para fomentar a criatividade e a inspiração a partir da poesia do dia-a-dia. A ideia é treinar os “músculos da atenção” para enxergar o mundo de novas formas.

Uma das estratégias que mais me marcou é baseada na premissa de que tudo que sabemos o nome começa a ficar mais visível pra nós. Se você nomear seus sentimentos, por exemplo, passará a percebê-los com mais frequência.

Aprender os nomes das coisas também é fundamental para a aprendizagem autodirigida. “Mais do que uma identidade, o nome de uma criatura também é uma senha”, afirmou o escritor Ferris Jabr.

Senha no sentido de nos permitir o acesso a novos territórios de investigação que, sem saber o nome correto, não acessaríamos.

Por exemplo: depois que descobri o termo “workplace learning”, consegui encontrar muitas referências novas na área de aprendizagem corporativa.

E você, como faz pra treinar seus músculos de atenção?

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com