Um guia prático para atravessar a pandemia com alegria e inteligência

Euzinho na quarentena.

Na semana passada, não pude deixar de escrever sobre o que estamos vivendo em função do coronavírus. É uma situação estranha, delicada e que desafia muitas de nossas certezas individuais, comunitárias e humanas.

Além de escrever, também convidei meus leitores para participar de uma pesquisa. Ao ver tanta gente compartilhando conteúdos e cursos gratuitos, fiquei com vontade de fazer o movimento oposto: escutar.

A pesquisa, na verdade, foi uma conversa baseada em duas perguntas: “como dar conta do que queremos e precisamos fazer diante de tudo isso?” e “como ampliar nossa visão e aprender com o que está acontecendo?”

Recebi várias respostas que me ensinaram MUITO. Agradeço a todos que responderam: vocês me fizeram um bem enorme. Agora, o mínimo que posso fazer é devolver um pouco do conhecimento coletivo gerado nesse processo.

É para isso que criei este guia.

O que você vai encontrar aqui

Para facilitar a compreensão, dividi o guia em seis “cultivos”:

  • Cultivar presença
  • Cultivar saúde e equilíbrio
  • Cultivar vínculos
  • Cultivar consciência
  • Cultivar criatividade
  • Cultivar sabedoria

Juntos, eles são uma bússola para atravessarmos o mar agitado que temos à frente.

Cultivar presença

Estar fincado no momento presente nunca foi tão essencial quanto agora. A presença é o remédio capaz de curar a ansiedade e o desespero. É ela que nos sustenta diante das incertezas que nos assombram.

  • Respeite suas necessidades e acolha seus limites. Estamos vivendo uma situação extraordinária que nos demanda boas doses de autoempatia e autocuidado.
  • Viva um dia de cada vez. Se precisar, desenhe palitinhos na parede para contar o tempo de quarentena. Parece bobo, mas ajuda.
Agradeço à Marina Xavier por essa ideia.
  • Respire profunda e lentamente três vezes em diferentes momentos do dia. Sinta seu corpo e nomeie suas emoções, sem julgar.
  • Preste atenção no que está acontecendo à sua volta: sons, cheiros, texturas, gostos, a vista da janela, o crescimento das plantas.
  • Faça, pelo menos uma vez por dia, esta meditação de dois minutos desenvolvida pelo HeartMath Institute.

Cultivar saúde e equilíbrio

A importância de ter um sistema imunológico forte neste momento é óbvia. No entanto, saúde é muito mais do que isso. E, da forma como vejo, estar saudável tem muito a ver com estar equilibrado.

  • Recrie sua rotina diária com especial atenção ao que você faz logo ao acordar. Bons hábitos matinais te ajudarão a se manter firme durante o resto do dia.
  • Escreva três páginas à mão todos os dias ao acordar, sobre qualquer coisa (inspirado no livro “O Caminho do Artista”, de Julia Cameron).
  • Durante a quarentena, as fronteiras entre o trabalho e a vida doméstica se dissolvem. Crie rituais e adapte os ambientes da casa para conseguir separar esses momentos.
  • Cuide de sua saúde física por meio de uma alimentação saudável, uma boa noite de sono, alongamentos e exercícios (existem vários apps e canais de treino em casa disponíveis em português).
  • Foque no essencial. Momentos de contenção são bons para percebermos o que queremos manter e o que queremos descartar na nossa rotina.
  • Lembre-se de sua saúde financeira: quem poupou antes da crise está mais tranquilo agora. Separe um tempo para arrumar as finanças.

Cultivar vínculos

Em tempos de isolamento físico, precisamos nos sentir conectados com as pessoas por outras vias. O ambiente virtual assume uma importância ainda maior e as relações dentro de casa devem ser estimuladas de formas diferentes.

  • Ofereça escuta para seus amigos e familiares que precisam conversar. Você não precisa discordar nem concordar com o que eles dizem, apenas escutar.
  • Crie/fortaleça uma rede de apoio composta por pessoas com as quais você se conecta em um nível mais profundo. Faça chamadas de vídeo com elas e pergunte-se: como manifestar amor através da comunicação virtual?
  • Se você mora com outras pessoas, respeite a necessidade de espaço delas e também a sua. É importante reservar um momento para ficar sozinho às vezes.
  • Durante a crise, esteja atento ao que você pode fazer pelo outro. Mas tome cuidado para não colocar as necessidades dos outros na frente das suas.
  • Quando detectar algo que é importante para você, faça pedidos claros. Alguns exemplos são “como é para você me escutar durante 15 minutos?” e “tudo bem para você comermos em silêncio hoje?”

Cultivar consciência

Várias fichas estão caindo neste momento. Toda crise é uma oportunidade de enxergar de maneira mais precisa a realidade. E ampliar nossa visão é importante para nos tornarmos resilientes quando outros momentos difíceis chegarem.

  • Não consuma informação demais. Selecione algumas fontes confiáveis para se atualizar diariamente e ignore o resto. Estabeleça um tempo (15 minutos, por exemplo) para se atualizar e não vá além dele.
  • Não se deixe levar por influências externas que sugam sua energia. Deixe de participar de grupos alarmistas no Whatsapp e combine de conversar sobre outros assuntos além de coronavírus.
  • Perceba a realidade como ela é: complexa. Evite ceder à polarização e sempre verifique a veracidade das informações, especialmente se for compartilhá-las (a Agência Lupa e o portal Aos Fatos podem ajudar nisso)
  • Amplie sua consciência coletiva e sistêmica. Mais do que nunca é possível perceber o impacto de nossas ações individuais nas outras pessoas e no planeta.
  • A pandemia e a quarentena têm implicações não apenas na saúde, como também sociais, culturais, econômicas e ambientais.

“Muitas das causas principais das mudanças climáticas também contribuem para aumentar o risco de pandemias” (Dr. Aaron Bernstein, professor de Harvard. Link aqui)

  • A crise é um bom momento para investigar não apenas como a visão de mundo dominante — patriarcal, capitalista, branca, adulta, hierárquica — influencia o que está acontecendo, mas também o que outras visões podem nos revelar.

Cultivar criatividade

Nutrir o ser criativo que existe em nós é essencial neste momento por diferentes razões. Coletivamente, precisamos dele para reimaginar as relações, o governo e o trabalho nas empresas. No nível individual, exercer a criatividade nos torna mais produtivos e alegres durante o confinamento.

  • É tempo de aprender a aprender por conta própria e online. Muitas instituições estão disponibilizando recursos de aprendizado online gratuitamente (veja aqui e aqui).
  • Aumente seu tempo diário de leitura instalando o aplicativo do Kindle no smartphone. Compre alguns ebooks e coloque o app na tela inicial do celular (também é um ótimo momento para ler livros físicos).
  • Imagine formas criativas de utilizar os ambientes da sua casa. No último fim de semana, minha varanda foi transformada em um restaurante na sexta, em uma balada no sábado e em um espaço de yoga no domingo.
  • Pelo menos uma vez por semana, leve seu “artista interior” para passear. Permita-se fazer algo prazeroso e divertido por uma ou duas horas (inspirado no livro “O Caminho do Artista”, de Julia Cameron).
  • Pergunte-se: o que eu gostaria que mudasse após a pandemia? Como posso começar a me preparar agora para fazer essas mudanças?
  • Se você trabalha em uma empresa, certifique-se de não apenas tomar medidas imediatas para conter a crise, mas também pensar criativamente sobre como seu time e sua organização poderiam ser mais resilientes no futuro (este ebook dá boas dicas nesse sentido).

Cultivar sabedoria

Acumular mais informações e conhecimentos não é a saída para lidar com a crise. É preciso se libertar do terreno conhecido e sentir o que está querendo emergir em nós e no mundo. O que a pandemia está querendo nos dizer?

  • Quanto mais você lutar contra, mais vai doer. Aceite a realidade como ela é e busque sua versão mais criativa para lidar com ela.
  • Como encontrar o equilíbrio entre o negacionismo e o pânico? Essa é a corda bamba em que todos nós precisamos ter a coragem de subir.
  • Seja grato todos os dias pelos privilégios que você tem (casa, família, rede de apoio etc). E pratique empatia e compaixão com quem não tem.
  • A liberdade pode ser definida como “o direito de se comprometer”. Com o que (e com quem) você escolhe se comprometer agora e depois?
  • Situações de crise nos convidam a refletir: como eu poderia contribuir para a sociedade diante do que está acontecendo? Às vezes é algo muito mais simples do que você imagina.
  • Não deixe que a quarentena ou as notícias da pandemia desautorizem seus momentos de felicidade. Ser feliz é possível em qualquer lugar, inclusive em casa (esta matéria da BBC dá algumas dicas sobre felicidade segundo a ciência).

Consuma essas dicas com moderação. Quem tenta fazer tudo acaba sem conseguir fazer nada.

É tempo de mudança. Vamos juntos, ainda que isolados.

Este guia surgiu a partir da inteligência de 26 pessoas incríveis e anônimas. Muito obrigado a todos que contribuíram!

Baixe um material gratuito que vai te ajudar a aprender a aprender

Preparei um conteúdo com as principais pérolas da minha jornada de aprendizagem autodirigida.

É a essência mesmo. Aquilo que eu recomendaria de olhos fechados pra qualquer um que queira aprender a aprender.

E o mais legal é que eu organizei esse conteúdo no formato CEP+R (Conteúdos, Experiências, Pessoas e Redes).

CEP+R é um método que eu e Conrado Schlochauer criamos juntos. Usamos esse método em programas, workshops, mentorias e com a gente mesmo.

Acesse agora o conteúdo no meu site: www.alexbretas.com. E depois me envia um e-mail no alex@alexbretas.com me contando o que achou!

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com

TEDx Speaker | Autor | Facilitador de comunidades de aprendizagem autodirigida — www.alexbretas.com